A Ong Espaço Azul, participou do Seminário, representando as famílias de pessoas portadoras do Transtorno do Espectro Autista de São Carlos.

 

Estamos recebendo as inscrições das pessoas portadoras de TEA, que queiram participar desse projeto pioneiro e inovador em São Carlos.

Acessem:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSecxDISa_vOy0RoJRt66-fo-zD1_BS9NcIB_o17CgaPZ0k0LA/viewform

  • Peça às famílias para informar sobre seus interesses, preferências e desgostos.
  • Use preferências e materiais que sejam agradáveis ​​para a criança em sala de aula e no quintal para estabelecer vínculo com a escola e as pessoas no ambiente escolar.
  • Trabalhe por curtos períodos de cinco a dez minutos em atividades de crescente complexidade, incorporando gradualmente mais materiais, pessoas ou objetivos.
  • Fale pouco, apenas as palavras mais importantes (geralmente um autista não processa muita linguagem de cada vez).
  • Use gestos e imagens simples para suportar o que é falado e permitir a compreensão (autistas são mais visuais do que verbais).
  • Desenvolva rotinas que a criança pode prever ou antecipar (por repetição e com suporte de imagens que mostram o que será feito no dia). 
  • Incentive a participação em tarefas para limpar a sala, ajudar a entregar materiais para outras crianças, etc.
  • Entregue objetos no canal visual. O adulto deve ter o objeto em mãos antes dos olhos para que a criança possa pegar o objeto ao ter o rosto do adulto dentro do seu campo de visão. 
  • Respeite a necessidade de estar sozinho, andar ou saltar ou simplesmente vagar para se acalmar (pode ser usado como uma recompensa após uma atividade).
  • Tente conhecer as habilidades de cada criança para usá-las como entrada para atividades de ensino (pintura, aparar, etc.).
  • Evite falar muito alto, e todas as situações que envolvem muita estimulação (pode até ser prejudicial para a criança).
  • Sempre pergunte como foi a tarde ou o dia anterior, a qualidade do sono ou se há alguma mudança na rotina para antecipar estados emocionais de ansiedade. Em caso de ansiedade, tente usar elementos de interesse.

Autista com muito orgulho – A síndrome vista pelo lado de dentro

autista-com-orgulho

Autor: Cristiano Camargo – Ganhador do VIII Prêmio Orgulho Autista 2012/2013

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Freaks, Geeks & Asperger Syndrome: A User Guide to Adolescence

freaks-geeks

Autor: Luke Jackson
Luke é um aspie britânico e escreveu esse livro aos treze anos, dando dicas sobre como sobreviver à adolescência. Tem um irmão com autismo clássico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nascer duas vezes

nascer-duas-vezes

de Giuseppe Pontiggia, Editora Companhia das Letras, 2002
O autor narra o próprio processo de aceitação de um filho com deficiência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Estranho Caso do Cachorro Morto

mark-haddon

de Mark Haddon, Editora Record, 2004
Um misterioso assassinato é narrado e desvendado por um rapaz com aspie.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma menina estranha – Autobiografia de uma autista

uma-menina-estranha

Autor: Temple Grandin & Margaret M. Scariano

Conheça seus direitos

Em 12/03/13 foi publicado no DOE que o Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou um Inquérito Civil para apurar a Política de Educação em relação às Crianças e Adolescentes com TEA em todo o Estado de São Paulo.

Assim, quem tiver informações sobre como estão sendo atendidas as crianças que se utilizam da Rede Pública de Ensino, bem como aquelas Escolas Particulares Conveniadas, por favor entrem em contato com o GEDUC pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Lei 12.764 de 27 de dezembro de 2013. Conhecida como Lei Berenice Piana.

Ação Civil Pública da 6ª Vara de Família do Estado de São Paulo.

Processo n° 053.00.0271392 (1679/00).

Cactus Web | Criação de Sites